Saúde

Veículos do Samu sem condições de atendimento


Samu: 40% das ambulâncias estão quebradas
Relatório da CGU indica necessidade de substituição
02/01/2017  10:26
Situação do pneu quado ambulância descia a SerraLegenda (Fotos: Sindconam)

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) reconhece a deficiência e já solicitou a reposição de 28 ambulâncias para atender ao Sistema de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). De acordo com informações da assessoria de comunicação, a substituição deve ser feita pelo Ministério da Saúde e o pedido, já oficializado, está baseado em relatório da Controladoria Geral da União (CGU), que identificou precariedade dos veículos em todo o país.

De acordo com dados do Sindicato dos Condutores de Ambulância do Estado de Sergipe (Sindconam), as ambulâncias que apresentam defeitos por falta de manutenção representam cerca de 40% da frota do sistema em Sergipe, que gira em torno de 70 veículos. Como consequência, segundo o presidente do Sindicato, Adilson Melo, a prestação do serviço está comprometida em várias partes do Estado.

Mesmo com todas estas deficiências, segundo a assessoria de comunicação da Secretaria de Estado da Saúde, o Samu de Sergipe está bem avaliado, enquadrado entre os melhores serviços desta natureza prestados em território nacional.

Viaturas paradas

Como consequência, segundo dados do sindicato, cerca de 25 ambulâncias param diariamente por falta de manutenção. Em oito dias, conforme Adilson Melo, ocorreram dois episódios preocupantes: em dois momentos, duas ambulâncias tiveram pneus estourados quando desciam a Serra de Itabaiana. Na primeira vez, o pneu estourou no dia 18 e no dia 26 novo episódio semelhante ocorreu.

Há outros fatores também, segundo o presidente do sindicato. Há bases, conforme frisou, que estão sem funcionamento há cerca de quatro meses por falta de veículos. Ele cita como exemplo, a base de Nossa Senhora do Socorro, que também atende às demandas oriundas do município de Riachuelo.

Sindicato denuncia pneus velhos posto na frota

Em Aracaju, conforme o sindicato, há momentos em que apenas duas das oito unidades de suporte básico estão funcionando. Este detalhe, conforme Adilson Melo, foi registrado na sexta-feira, 23. Em Itabaiana, há duas unidades de suporte básico, mas apenas uma funciona. Está interrompida a atividade da unidade que atende a Pinhão, há cerca de um ano, justamente por falta de manutenção das ambulâncias, segundo o presidente do sindicato. “Estes são apenas alguns relatos superficiais que temos”, enaltece o sindicalista.

O Portal Infonet tentou ouvir o Ministério da Saúde. A assessoria de imprensa se comprometeu a enviar uma resposta ainda nesta segunda-feira, 2. O Portal Infonet permanece à disposição. Informações podem ser enviadas por e-mail jornalismo@infonet.com.br ou por telefone (79) 2106 – 8000.

Por Cássia Santana

MATERIAS RELACIONADAS
Compartilhar:
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.