Sindicatos

Valadares denuncia que Governo não dá garantias ao trabalhador no projeto da reforma


Valadares reitera voto contrário à Reforma Trabalhista

 

O senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) subiu à tribuna, para defender novamente seu voto contrário a Reforma Trabalhista. Ele reafirmou que não vai compactuar com uma proposta que subtrai direitos duramente conquistados nas últimas décadas pela classe trabalhadora deste País. “Não apoiarei um projeto que dialoga com o empresário contra o trabalhador”, disse.
Valadares voltou a questionar o argumento do governo que a reforma reduzirá a informalidade e estimulará as contratações. “Francamente, qual a informação que o governo nos deu – e que mereça credibilidade – de que essa reforma surtirá os efeitos sugeridos? O ceticismo alcança até o setor produtivo. E eu já disse e repito mais de 70% do empresariado paulista ouvido pela FIESP avalia que a reforma nada ou pouco incentivará as contratações”, explicou.
O senador criticou a impossibilidade de qualquer atualização na proposta. “Fomos tolhidos das nossas atribuições a uma reforma que trata do contrato de trabalho intermitente; amplia a terceirização de forma irrestrita; permite a contratação de autônomo com exclusividade; admite gestantes e lactantes em atividade insalubre, possibilita demissões arbitrárias sem negociação com o sindicato e a correção dos créditos trabalhistas abaixo da inflação, entre outros problemas”, argumentou.
Valadares destacou a sua disposição de trabalhar na busca de soluções para reverter o clima de desalento e para retomar o rumo do crescimento.  “Mas, não contem comigo para eliminar direitos do já sofrido trabalhador brasileiro. A sociedade nada vai ganhar com o enfraquecimento de sua valorosa força de trabalho”, disse.