Coluna Aqui & Acolá

SMS realizou 20 vistorias de combate ao Aedes em casas abandonadas


As ações de combate ao Aedes aegypti não param. A Prefeitura de Aracaju, através da Secretaria Municipal da Saúde, tem trabalhado com diversas estratégias para combater a proliferação do mosquito. Nos últimos quatro meses, foram recebidas, pela Ouvidoria da Saúde, 20 denúncias de casas abandonadas. Em 14 delas, foi possível encontrar o proprietário para auxiliar na abertura do imóvel, já nas outras seis, foi preciso a ação de um chaveiro.  A abertura de imóveis pelo Programa Municipal de Controle do Aedes aegypti em parceria com a Coordenação de Vigilância Sanitária (Covisa) está respaldada em uma medida provisória do Ministério da Saúde, que garante a legalidade das ações, seguindo alguns critérios pré-estabelecidos.

Segundo a coordenadora do Programa Municipal de Controle do Aedes aegypti, Taíse Cavalcante, só é possível a entrada no imóvel com auxílio de um chaveiro, quando o local está totalmente abandonado. “Após a denúncia, é aberto um processo administrativo, e feito um auto de infração, assinado por, pelo menos, dois vizinhos comprovando a situação do imóvel. Lembrando que este auto deve acontecer duas vezes em um período de 10 dias, na busca pelo proprietário. Somente após esses procedimentos, solicitamos o apoio da Covisa, com auxilio da Guarda Municipal e um chaveiro para abertura do imóvel. Dessa forma, nossos agentes de Endemias podem verificar se existem ambientes propícios à proliferação do mosquito no local”, destacou.

clique para ampliarFotos: (Ascom/SMS)
clique para ampliar
clique para ampliar
clique para ampliar
clique para ampliar

 

Ainda segundo Taíse, após essa abertura dos imóveis que foram denunciados, foi possível observar que a maioria dos criadouros foi formado por causa do lixo jogado pela vizinhança. “Até mesmo uma bolsa plástica, após uma chuva, pode se tornar um local propício à proliferação do mosquito. É necessário que a população colabore e descarte o lixo no local correto, para evitar o acúmulo de água em superfícies que possam servir de criadouros”, alertou.

O último Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti (LIRAa) apresentou a maior redução dos últimos 8 anos. Segundo Taíse, isso é fruto de um trabalho incansável da Prefeitura de Aracaju em parceria com a população, mas ela reforça que isso não é motivo para relaxar na vigilância. “Estamos iniciando o período de chuvas, então, o cuidado deve ser redobrado. A população precisa estar mobilizada no cuidado, tanto dentro de suas residências quanto ao redor, com sua vizinhança, para que assim possamos evitar um surto epidemiológico em nosso município”, afirmou.


Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.