Economia

Situação econômica deve ser discutida


A deputada Maria Mendonça (PP) propôs, através de Requerimento, que sejam convidados os professores do Departamento de Economia da Universidade Federal de Sergipe, Luiz Rogério de Camargo, Rodrigo Melo Gois e Wagner Nóbrega, responsáveis pela elaboração do Anuário Socioeconômico de Sergipe 2017. O convite foi extensivo ao economista Luiz Moura, do Departamento Intersindical de Estudos Socioeconômicos (Dieese).

O requerimento foi apresentado e lido na sessão desta terça-feira (1/8), quando da abertura do semestre legislativo. “Vimos os dados constantes no Anuário e percebemos quão urgente se faz aprofundar essa análise sobre esse quadro caótico em que se encontra o Estado de Sergipe”, disse Maria, ressaltando a importância de mobilizar toda a sociedade “para que possamos mudar essa realidade, cobrando do governo a parte que lhe cabe fazer”.

Para a deputada, “o quadro é bastante crítico e demonstra a falta de planejamento e de compromisso do governo para com o Estado e para com os sergipanos”. De acordo com Maria Mendonça, o estudo mostra uma queda do Produto Interno Bruto (que é a somaem valores monetários, de todos os bens e serviços finais produzidos) da ordem de 10%, nos últimos dois anos. Mostra, também, que a taxa de desemprego chegou a 15%; o índice de analfabetos em Sergipe é proporcionalmente maior que a média do Nordeste; o número de jovens que não estuda e nem trabalha cresceu; assim como aumentou o número de domicílios sem acesso a serviços de redes de esgoto, água encanada e coleta de lixo.

“Ou seja, o Anuário aponta para uma realidade que se sustenta na falta de planejamento e na falta de boa vontade do governo”, enfatizou a deputada, ao considerar o estudo um importante subsídio para elaboração de políticas públicas que garantam a redução desses índices “tão agressivos”. No seu entender, por trás de cada dado relacionado às finanças estaduais estão serviços públicos comprometidos e uma população desassistida.