Comportamento

Referência em Saúde Mental promove capacitação para servidores da Reap


A Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), promoveu uma ação educativa para os servidores da Rede de Atenção Primária (Reap). O evento realizado no Hospital Municipal Nestor Piva (Zona Norte), no bairro 18 de Forte, contou com a participação de psicólogos e psiquiatras que atendem na Reap das Unidades de Saúde da Família (USFs) da capital.

Tratando das questões que envolvem o tratamento de pacientes com transtornos de humor e depressão, a ação, de acordo com a coordenadora da Referência Técnica em Saúde MentalDalyanne Oliveira, teve como objetivo viabilizar a capacitação desses profissionais para uma maior compreensão a respeito do tema. “Esse é o segundo módulo de um curso de capacitação e faz parte de uma educação permanente para os profissionais que atendem a saúde mental do nosso município”, esclareceu.

Fotos: (Ascom/SMS)
clique para ampliar
clique para ampliar
clique para ampliar

 

Segundo o médico da saúde mental e palestrante do evento, Paulo Victor Aragão, esclarecer os profissionais que atendem no dia a dia a respeito dos transtornos de humor e sobre a depressão é necessário para que eles atendam da melhor forma possível os pacientes. “Entendendo que a depressão é um transtorno muito recorrente atualmente e, por vezes, confundida com outras coisas, como uma tristeza, preguiça, ou ainda frescura, ações educativas como essa servem para esclarecer esses servidores sobre a importância de saber lidar com os pacientes que chegam aos nossos consultórios, para que fique claro que antes de atender um depressivo, estamos atendendo um ser humano que precisa muito da nossa ajuda e nós temos que estar preparados para dar esse suporte”, afirmou.

A psiquiatra que atende na USF Anália Pina, Juliana Maia, ressaltou que esse tipo de capacitação é uma forma de auxiliar a melhoria do atendimento e deveria ser estendida aos outros profissionais da atenção básica como um todo. “Assim como a ciência está em constante evolução, nós, enquanto profissionais, precisamos acompanhar essa evolução, e iniciativas como essa servem para aprimorar a nossa prática diária, melhorando a assistência médica. E por isso, eu acredito que elas deveriam ser para toda a base do atendimento médico, e assim não sobrecarregar os profissionais da saúde mental”, pontuou.


Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.