Comportamento

Reaps promove oficina de artesanato para usuários dos Caps da capital


Visando promover a reinserção social e incentivar a geração de renda independente, a Prefeitura Municipal de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS)  fez encerramento da oficina de artesanato com material reciclado para usuários dos Centros de Atenção Psicossocial (Caps) da capital. A ação é fruto de um projeto desenvolvido pela Rede de Atenção Psicossocial (Reaps) em parceria com o Ministério da Saúde, financiador do projeto, e a Associação de Usuários de Saúde Mental do Estado de Sergipe (AUSMES), e foi realizada no campus da Universidade Tiradentes, localizado no Centro e reuniu nas cinco últimas semanas usuários dos diferentes Caps da cidade.

De acordo com a coordenadora da Rede, Karina Cunha, o principal objetivo do projeto que viabilizou a realização da oficina era incluir os usuários quebrando preconceitos e desconstruindo estereótipos. “Tivemos o cuidado de promover nesse espaço os serviços de inclusão para desfazer muitas imagens preconceituosas que acompanham as pessoas com transtornos mentais, a gente entende que é preciso continuar desconstruindo os vários estereótipos existentes, mostrando que tudo que eles precisam é de cuidado como qualquer outra pessoa que esteja enfrentando problemas de saúde”, explicou.

15/06/2016 – 08h29
clique para ampliarFotos: Ascom/SMS
clique para ampliar
clique para ampliar

 

Para dona Maria da Conceição, mãe de um usuário atendido no Caps Vida, a oficina foi também um espaço para compartilhar experiência. “Aqui a gente acabou fazendo alguns amigos, além de aprender um ofício novo envolvendo eles em outras atividades, como mãe eu fico muito feliz porque estou vendo muitas mudanças na qualidade de vida do meu filho depois do acolhimento no Caps”, pontuou.

Uma das facilitadoras da oficina, Noêmia Mendonça, ressaltou que o resultado obtido nas atividades provocou surpresa. “Eu realmente me surpreendi com eles, confesso que estava com certo receio, mas, aqui, lhe dando com eles, percebi que tudo que precisam é de atenção. A gente acredita inclusive, que depois dessa vivência aqui, até as famílias aprenderam melhor o papel de ajuda que temos na vida de cada usuário”, afirmou.

Essa importância, também foi ressaltada pelo presidente da AUSMES, Oliveira Rodrigues. “Ações como essa, conquistada por meio desse projeto, são uma saída para que os usuários voltem ao convívio em sociedade e possam ter uma vida digna, com um sentimento de valorização de coisas que eles mesmos podem fazer, em um espaço de integração até mesmo fora do ambiente do Caps”, concluiu.

 

No evento de encerramento, foram entregues aos usuários certificados de participação e as peças de artesanato que eles mesmos produziram.


Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.