Vale o que está escrito

Qual a razão de alguns políticos não estimularem festas populares que não dão dinheiro?


ClaudioLaranjeirasO ministro das Cidades, Gilberto Kassab, atendeu a um pleito do deputado federal Fábio Mitidieri (PSD/SE) e, vai disponibilizar, em regime de urgência, um investimento de R$ 10 milhões para que seja construída uma nova adutora no povoado Pedra Branca, em Laranjeiras, tranquilizando mais de um milhão de habitantes da Grande Aracaju, que são abastecidos com a água que vem do Rio São Francisco. Na proposta do deputado sergipano também está assegurada a construção de uma passarela para o tráfego de pessoas e animais.

REUNIÃO

Fábio Mitidieri esteve reunido com os técnicos do Ministério das Cidades, acompanhado do diretor presidente da Companhia de Saneamento de Sergipe (DESO), Carlos Melo, com o objetivo de encontrar uma solução definitiva para o problema. “A questão da falta de água já foi solucionada, com muita competência pelos técnicos da DESO, mas provisoriamente. Nós queremos uma solução definitiva até para tranquilizar a população da Grande Aracaju”, cobrou o deputado federal.

CACHORRINHA

Coordenado pelo líder comunitário Cristiano e com apoio dos deputados federal Fábio Mitidieri e estadual Luís Mitidieri (filho e pai), o Arrasta-pé do 18 do Forte, em sua sétima fase, foi sucesso total na Baixa da Cachorrinha, uma área tida como superviolenta que mostra que o povo não é nada disso, mas sim trabalhador e sabe fazer festa.

ACABOU

Por mais que se tente, não será tão rápido, recuperar o prestígio da Rua São João, que já foi o principal espaço dos festejos juninos de Sergipe. As questões políticas partidárias acabaram com 105 anos de tradição. Desde que assumiu o comando de Aracaju que o prefeito João Alves Filho, DEM, tem demonstrado desprezo pela tradição junina. Qual é o mistério do fim da rua São João que, politicamente, se fosse explorada de forma inteligente daria um bom resultado eleitoral.

 

COINCIDÊNCIA

Só cresce o que dá dinheiro, mês disse um amigo, que não posso revelar seu nome, por ter me pedido segredo, comentando sobre o fim da tradição de 105 anos da Rua São João, bairro Santo Antônio em Aracaju. Meu amigo quem é que vai querer coordenar uma festa do povo, onde não pode rolar milhares de reais, para se ganhar uma bela uma comissão, usando laranjas? Fiquei sem entender.

INSEGUROS

A Prefeitura de Aracaju não designou guardas municipais, para proteger pequenos comerciantes e público da rua São João e nem se preocupou em escalar fiscais da Emsurb, para impedir que ambulantes desobedientes, grosseiros, ignorantes, e petulantes e agressivos invadissem o espaço dos brincantes da rua São João. Foi bagunça total e muita briga. O que se diz é que o coordenador do ForróCaju, Carlos Batalha (secretário municipal de Comunicação da PMA), não quis que a PMA bancasse os festejos da rua São João, por conta da influência de alguns políticos que não rezam em sua cartilha e que jamais lhe dariam uma chance de… Deixa para lá. Estes políticos não são do grupo do prefeito de Aracaju, João Alves, e jamais aceitariam que houvesses coisas estranhas na festa da Rua São João. Quem perde é o povão, que deixou de ver as quadrilhas no palco da rua São João.

QUEBRADOS

Conversei com alguns ambulantes que foram ganhar um dinheirinho em Itabaiana, na Festa do Caminhoneiro, e dois deles me disseram que não ganharam nem o da passagem para retornar para Aracaju. Tinha muita gente. Parecia um formigueiro, mas não deu para ganhar dinheiro, porque a maioria das pessoas levou a própria bebida para consumir, uma vez que não era proibido entrar no espaço com cerveja e cachaça. Muita gente teve prejuízo, porque investiu em mercadoria e ficou no “ora veja”. Mas ai a culpa não é do prefeito Valmir Costa (Valmir de Francisquinho), mas sim do contexto. Se a moda pega, vai ter ambulante catando latinha ao invés de querer vender cerveja, refrigerantes e outras bebidas.

ESMOLÉS

Integrantes da Frente Nacional de Prefeitos (FNP) participarão, nesta quarta-feira (17), a pedido dos presidentes da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, e do Senado Federal, Renan Calheiros, de um encontro para debater o pacto federativo e o desenvolvimento regional. Já estão confirmados, até o momento, 30 prefeitos, sendo 12 de capitais. Na audiência, os prefeitos pretendem tratar de assuntos prioritários para os municípios e que estão em trâmite no Congresso Nacional. Além do pacto federativo, os prefeitos também buscam apoio para aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 172/12, que determina que a União não transfira nenhum encargo ou prestação de serviços aos estados e aos municípios sem a previsão de repasses financeiros necessários ao seu custeio.

IMPUGNAÇÃO

Associações civis legalmente constituídas poderão pedir à Justiça a impugnação de registros de candidatos envolvidos em ilícitos eleitorais ou que tenham ficha suja. É o que prevê o Projeto de Lei Complementar (PLP 100/15) em análise na Câmara dos Deputados. A proposta foi apresentada pelo deputado Ezequiel Fonseca (PP-MT). Atualmente, o pedido de impugnação só pode ser feito por candidato, partido político, coligação ou pelo Ministério Público. A proposta altera a lei que trata dos casos de inelegibilidade (Lei Complementar 64/90). Pelo projeto, para poder pedir a impugnação de candidaturas, a entidade civil deverá cumprir alguns requisitos, como ter, entre suas finalidades, a proteção à moralidade para o exercício de mandatos eletivos.

PENSÃO

Tramita na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 67/15, que aumenta de três para cinco dias o prazo para execução de sentença de juiz para pagamento de pensão alimentícia em atraso. “Com a proposta, o devedor, em vez de três dias, terá cinco dias para conseguir recursos e saldar a dívida, evitando a prisão”, explica o autor, deputado Pompeo de Mattos (PDT-RS). O projeto altera o Código de Processo Civil (Lei 5.869/73). A proposta é uma reapresentação do PL 504/99, do ex-deputado Enio Bacci, que foi arquivado ao final da última legislatura. Bacci não foi reeleito.

 DITADOR

O Grande Capo, que já pousou de liderança sindical, salvador da pátria, o patriarca dos meninos honestos do Mensalão, Petrolão e outras roubalheiras, está fazendo palestras para camaradas e companheiros amestrados para comemorar demissões no Brasil. Sabe quem é este? Luís Inácio Lula da Silva, que tem que explicar como seu instituto e o PT receberam dois milhões de reais de uma empreiteira, envolvida no Lava Jato. O sindicalista de araque festeja tudo que é ruim e comemora quando a conta bancária do “Instituto Lula” aumenta em milhões, através de doações de empresas bandidas. A que chegou o Brasil. Nunca antes na história deste país tivemos isso. Só mesmo um ditador pode comemorar a miséria do povo. Mas, na verdade, parte dos brasileiros merece chibata no lombo três vezes ao dia. E Viva Mãe Dilma.

GRANDE IRMÃO

E o senhor Igor Rousseff que, coincidentemente, é irmão da poderosa presidente Dilma Rousseff, recebeu milhares de reais de uma empresa que, coincidentemente, obteve benesses do Governo Federal. O maravilhoso é que os diretores da empresa não sabem explicar qual foi o grande serviço prestado pelo Grande Irmão, para abocanhar tamanha grana, a título de consultoria. Deve ser do além. Aliás, este moço é o mesmo denunciado por ganhar salário  por mais de dez anos numa administração pública comandada pelo PT e nunca ter ido ao batente, para justificar o salário pago pelo povo. Este nasceu virado para a lua. Este cabra é do time do Grande Capo.

ATO DE MESTRES

A direção do SINTESE vem a público informar que Assembleia Geral dos professores convocada para a terça-feira, 16/06, está sendo adiada. Tal decisão foi decorrente da necessidade de concentramos toda a mobilização para o grande ato pelo direito à greve para todos os servidores públicos e pelo reajuste do piso salarial dos professores. O ato ocorrerá quarta-feira, 17/06, a partir das 8h, em frente ao Tribunal de Justiça de Sergipe, onde neste mesmo horário estará sendo julgada a contestação que o Sintese fez ao TJ sobre a decisão de ilegalidade da greve. Para este ato, estão sendo convidados os servidores públicos, os estudantes, todos os professores da rede estadual, e professores de rede municipais, que também estão sofrendo com o mesmo problema.  A nova assembleia será remarcada após o julgamento. Nesse momento a direção do Sintese pede o esforço de todos no sentido de mobilizar colegas, amigos e familiares. Não podemos deixar que o desrespeito aos nossos direitos e à nossa profissão seja institucionalizado.


Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.