Comportamento

PSE promove Oficina de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes


 

A Prefeitura de Aracaju (PMA), através do Programa Saúde na Escola (PSE), que faz parte da Coordenação de Promoção à Saúde (Cops)  da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), realiza nesta quinta-feira, 2, e sexta-feira, 3, a I Oficina Preparatória de Enfrentamento à Violência sexual contra Crianças e Adolescentes. O Evento, que acontece no auditório da Diretoria de Educação de Aracaju (DEA), envolve os profissionais da Atenção Primária em Saúde e também da  Educação.
clique para ampliarFotos:Ascom/SMS
clique para ampliar

 

Segundo Ilziney Simões, referência técnica do PSE, o objetivo do evento é sensibilizar os participantes quanto ao tema em debate. “A gente sabe que esse tipo de violência é ainda cercada de muita discriminação e preconceito, o que impede que esses profissionais consigam desenvolver um trabalho nesse sentido dentro do espaço escolar. Então a nossa intenção aqui é debater maneiras de construir práticas educativas que venham de alguma forma trazer a melhoria na qualidade de vida dos estudantes . Vale ressaltar ainda que a realização do evento só foi possível graças a uma parceria firmada com a Universidade Federal de Sergipe, que nos enviou uma professora  doutora  em psicologia para ser facilitadora da oficina”.

A professora doutora do Departamento de Biologia da UFS, Claudiene Santos, acredita que essa parceria fortalece  trabalho tanto da Secretaria da Saúde quanto da Educação. “A gente sabe que essas crianças e jovens que sofrem violência são estudante e frequentemente chegam até as unidades de saúde, por isso é muito importante que todos que estejam preparados para acolhê-los e orientá-los da melhor maneira possível”.

De acordo com a coordenadora do Cops, Lidiane Gonçalves, esse também é um momento fundamental para promover a integração entre os profissionais da saúde e educação. “É muito importante essa união para que todos estejam habilitados a tratar do assunto com as crianças e adolescentes através de uma linguagem mais apropriada. Além disso, a partir do debate realizado aqui todos esses profissionais se tornarão multiplicadores e levarão essa temática para seu ambiente de trabalho”.

Enfermeira da USF Joaldo Barbosa Claudia Lessa, aprovou a iniciativa. “A unidade que trabalho já realiza algumas ações sobre a violência sexual com as escolas do bairro, então para mim é muito importante poder participar dessa oficina hoje porque agrega valor a essas atividades que já desenvolvemos na USF”.

 


Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.