Coluna Rascunho E-SPORTS

Não deixe que a poliomielite acabe com a alegria de uma criança


 claudioVACINAÇÃOPor determinação do secretário Luciano Paz, A Secretaria Municipal da Saúde (SMS)  tem feito de tudo para vacinar o maior número possível de crianças contra a Paralisia Infantil. Os pais que ainda não levaram suas crianças – com idade entre seis meses e menos de cinco anos – para receber a dose da vacina, podem levá-las em qualquer Unidade de Saúde da Família (USF) de Aracaju para serem imunizadas.

DESRESPEITO

Há quase dois anos, estudantes da Escola Estadual Pedro Diniz, em Areia Branca, assistem aulas em locais improvisados, que têm como paredes tapumes, sustentados por toras de madeira. A professora Ederlaine Araújo diz que o espaço é pequeno e não tem condições de lecionar, posto que as “paredes” são de “madeirite”. A estudante Jaílma diz que os banheiros ficam sujos e não há condições de usá-los. Quem limpa, às vezes, são os alunos e a diretora, completa.

 SEM MERENDA

Quase não tem merenda e a pouca carne não pode ser usada, porque falta tempero. Rato morto atrás do freezer pode ser visto na cozinha da Escola Pedro Diniz. A professora Vânia Santos diz que de vez em quando mandam broa e rocambole para a merenda dos estudantes e não tem como cozinhar a carne, porque faltam os ingredientes.

 MATO

A escola improvisada funciona no antigo Clube Recreativo de Areia Branca, cercado de mato e sem segurança. A mãe de um aluno levou para a diretora uma faca tipo peixeira que o filho chegou com ela em casa. Ele recebeu de um colega, que disse que iria matar um outro colega da tarde. O irmão da quase vítima pegou a faca e deu para um colega, que levou para casa, a fim de evitar uma morte. Eu fui na casa dele e ele confirmou a história da faca.

DESENTENDIMENTO

A Escola Estadual Pedro Diniz foi reformada por uma empresa particular, que ficou sem receber e abandonou a obra. Argumenta-se muito a questão da parte elétrica, porque os trabalhadores não receberam pelo serviço feito para a construtora e abandonaram a obra. A Secretaria de Estado da Educação garante que já resolveu a questão burocrática e vai pagar a construtora, para que a Pedro Diniz seja entregue aos estudantes em condições decentes de uso.

TROTES

O diretor do Ciosp, major PM Elias Linhares revela um número assustador de trotes para o serviço, que é fundamental para a segurança dos sergipanos. Só no primeiro semestre foram 80 mil ligações de brincadeira, que muitas vezes custa caro para o cidadão. Ele adverte que é crime e quem for flagrado passando trote responde pelo crime na justiça.

ASSUSTADOS

Moradores do bairro Ponto Novo vive assustado com os constantes assaltos. O comerciante Reginaldo Silva disse que a sua empregada ia saindo do trabalho, às 17h45, um rapaz bem vestido, roubou o celular dela e mais R$ 5,50, que era a passagem para ela voltar para casa. A doméstica estava acompanhada de uma colega, que também foi assaltada.

 ATERRORIZADA

Uma moradora do Ponto Novo disse que está com medo de ir visitar a filha, porque foi assaltada pela manhã, quando um carro subiu à calçada, desceu um homem, anunciou o assalto e levou tudo dela. Todo mundo se encanta com a hospitalidade dos sergipanos, mas a violência está se tornando insuportável. O tenente coronel PM Paulo Paiva garante que ações preventivas são realizada e várias pessoas armadas já foram presas na região.

 DENTISTAS

A alta do dólar faz com que os serviços médicos, principalmente odontológicos, que dependem de material importado, fiquem mais caros para os sergipanos. O dentista Alexandre Tenório Costa diz que o valor pago por equipamentos mais sofisticados e matérias-primas necessárias fica maior, por causa da desvalorização do real.

PRIORIDADE

O dentista Alexandre Tenório vaticina que muitas pessoas deixarão de lado uma coisa importante para a vida que é a saúde bucal, priorizando outras coisas, por conta da falta de dinheiro, em virtude da inflação e da crise econômica que o país atravessa. E alta da moeda americana contribui muito, porque os consultórios dependem de material importado, que fica cada vez mais caro, obrigando os profissionais a repassarem os custos.

OFTALMOLÓGICO

Cerca de 80% dos equipamentos usados nas clínicas oftalmológicas é importado e com a alta do dólar fica difícil para os profissionais enxergarem uma alternativa, que não aumente os preços cobrados. O médico Mário Ursulino diz que o Brasil pouco produz aparelhos usados nos consultórios e isso encarece bastante as cirurgias. Diz que os oftalmológicos tentam segurar os preços, mas será difícil.

PERIGO NA PISTA

Trecho da BR-101, que desabou há mais de um ano, não foi recuperado e isso traz risco para os motoristas, além do encarecimento dos fretes. O motorista José Maria Lira não sabe a razão da demora no conserto entre os municípios de São Cristóvão e Nossa Senhora do Socorro. A cratera engoliu acostamento do trecho e a faixa da direita. A parte da pista, sentido Aracaju-Salvador foi interditada.

ACIDENTES

A Polícia Rodoviária Federal reconhece que é difícil transitar no local. O inspetor Anderson Sales diz que no período noturno é mais perigoso, por falta de sinalização eficaz na pista. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte informa que o novo superintendente engenheiro civil Ismael Silva está tomando conhecimento da situação, para as devidas providências.


Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.