Municípios

Greve dos caminhoneiros obriga municípios decretarem situação de emergência


Serviços básicos estão sendo afetados pela paralisação
A paralisação dos caminhoneiros que chegou ao seu oitavo dia em Sergipe tem afetado boa parte dos municípios do estado. Algumas cidades devido a dificuldade para oferecer os serviços básicos à população decretaram situação de emergência.

No município de Estância, o prefeito Gilson Andrade assinou um decreto na última segunda-feira, 28, que reconhece situação de emergência e cria o comitê de gerenciamento de crise. O comitê, segundo nota emitida pela prefeitura, “deverá propor e adotar as medidas preventivas ou reparadoras, administrativas e judiciais, visando a manutenção dos serviços essenciais e minimizar os impactos gerados pelo desabastecimento”.

Dentre os serviços suspensos pelo município estão as aulas na rede municipal. Segundo a prefeitura, a crise no abastecimento de combustível tem gerando desabastecimento da frota escolar, bem como dificuldades de deslocamento dos profissionais da educação que residem em outros municípios, além dos problemas para abastecer as escolas com gás de cozinha.

Além de Estância, outros municípios suspenderam as aulas nas escolas municipais, sendo elas: Lagarto, São Cristóvão, Poço Verde e Simão Dias.

Aracaju

Na capital, o prefeito Edvaldo Nogueira decretou situação de emergência no último domingo, 27. Serviços como o transporte público estão funcionando de maneira reduzida, com 70% da frota. A prefeitura do município também criou um comitê de gerenciamento de crise para assegurar o funcionamento dos serviços públicos essenciais e minimizar os efeitos da paralisação dos caminhoneiros.

Governo

O Governo de Sergipe decretou estado de emergência na sexta-feira, 25. O anúncio foi feito após reunião com representantes da Segurança Pública, Bombeiros, Saúde, Orçamento e Gestão, Justiça, Inclusão Social e Procuraria do Estado no Palácio dos Despachos.

Na tarde de ontem, 28, o governador Belivaldo Chagas anunciou a suspensão de alguns serviços. A principal preocupação do governador é suspender os serviços não essenciais que necessitam da utilização de carro. “O momento agora é de economia de combustível e de trabalhar a logística para outras ações”.

O governador suspendeu as aulas na rede estadual de ensino nesta terça-feira, 29. Se houver necessidade, as aulas serão suspensas novamente na quarta-feira, 30, e só retornarão na segunda-feira, 4 de junho.