Tecnologia

DOENÇA VIRTUAL: Celular e internet afastam viciados dos contatos pessoais com amigos e familiares


Uso excessivo das tecnologia altera convívio social

Pesquisa mostra que brasileiro passa por dia 84 min ao celular
Uso excessivo das tecnologia altera convívio social (Fotos: Portal Infonet)

Em pleno Século XXI, difícil mesmo é encontrar alguém que não tenha se rendido à tecnologia. Celulares estão definitivamente presentes na vida cotidiana. Seja para consultar informações, conversar com amigos e familiares ou apenas entreter. O fato, é que a internet e os celulares não saem das mãos e mentes das pessoas.

Uma pesquisa promovida pelo Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (IBOPE) mostra que os brasileiros estão mesmo aficionados pelos celulares smartphones. Segundo a pesquisa, feita em parceria com o Instituto Conecta e a Wordwide Independent Network Research (WIN), o brasileiro passa, em média, 84 minutos por dia usando um smartphone. O número supera a média global em cerca de 10 minutos.

O social media, Elder Gonçalves, se considera viciado em celular, e admite que faz uso exagerado do aparelho. Ele diz não largar o telefone por questões profissionais. “Não desligo o celular por nenhum momento, até porque é um meio de você receber a mensagem rápida de amigos e chefes, então, não tem como desligar. Ter internet no celular para mim é tudo, eu trabalho com isso e tenho que ter internet. Acredito que eu não desconecto por um só minuto, se tiver a bateria do celular carregada, ele está funcionando”, relata.

O social media Elder Gonçalves 

O uso exagerado do aparelho celular trouxe prejuízos no convívio familiar da gerente de recursos humanos, Danielle Lisboa. “A gente acaba deixando meio de lado a comunicação em família, porque agora a gente só faz teclar. Até nos bares, se você sair, pode perceber que nas mesas tem grupos que cada um está com um celular conversando com alguém de fora. Hoje quando saio com minhas amigas, eu a proíbo o de celular na mesa, para que possamos interagir. Esse mundo virtual é muito frio”, relata.

Mesmo percebendo as consequências que o mau uso de aparelhos celulares tem gerado no dia a dia, Daniela ainda aponta pontos positivos para ferramenta que garante conexão à internet na palma da mão. “Fico impressionada em saber como vivíamos antes sem as redes sociais e sem os celulares modernos. Hoje não consigo me imaginar sem esta ferramenta que facilita a vida da gente. Quando você começa a adicionar números, entrar em contato, você acaba passando o dia todo e percebe que não consegue se desvincular. Quando estou na rua, ouço o barulhinho do whatsapp, já quero ver quem é, mesmo que eu já tenha falado com a pessoa, é assim o dia todo. No trabalho eu ponho no silencioso, até porque trabalho com muita concentração, mas mesmo assim, dou uma olhadinha para ver se a luz está piscando”, diz.

publicitário e datilógrafo, Lelê Teles

Apesar da facilidade que a ferramenta tecnológica garante, há quem evite utilizá-la para âmbito pessoal, e somente no profissional. É o caso do publicitário e datilógrafo, Lelê Teles. “As redes sociais não mudaram muito a minha forma de comportamento social. Na verdade eu me comporto da mesma forma que eu me comportava antes, por exemplo: eu falo, telefono, saio, vou ao cinema, a shows, a bares com as pessoas. Me comunico nas redes sociais sobre coisas essenciais, principalmente sobre coisas de trabalho. Quando quero sair com amigos, ligo e marco. Acho que é uma compulsão doentia, uma patologia social. O cara ficar viciado em ficar apertando um botão para falar com outra pessoa”, opina.

Problemas

A psicóloga Cristiana Almeida diz que o uso demasiado da internet pode acarretar em sérios problemas na vida pessoal e social de uma pessoa. “Hoje fazemos quase tudo através da internet. No entanto, todas essas facilidades nos coloca diante de um paradoxo, no qual os indivíduos estão cada vez mais unidos pelas redes sociais e pelas mídias, mas no que diz respeito à aproximação, ao contato social, ao toque, ao olhar e aos sentimentos, não existem ganhos no quesito qualidade. Qualquer tipo de afastamento dessa realidade que nos coloque em isolamento, consequentemente causará um adoecimento psíquico. Existem ainda os fatores ligados diretamente à saúde física. É comprovado que a permanência prolongada diante de um computador causa problemas como alterações na visão e tendinite. É muito importante refletirmos sobre os problemas de cunho social e nas mudanças de comportamentos que a internet tem causado principalmente em nossas crianças e adolescentes. Ou seja, no nosso futuro”, analisa.

gerente de recursos humanos, Danielle Lisboa

A psicóloga Cristiana Almeida

Cristiana Almeida aponta alguns sintomas que indicam dependência a ferramentas tecnológicas. “Ainda não existem critérios conclusivos sobre a dependência tecnológica, mas alguns teóricos já apontaram como marcadores deste transtorno os prejuízos significativos no indivíduo no que diz respeito a sua vida social, familiar, acadêmica e laboral. É preciso estar atento ao se perceber irritabilidade, ansiedade, mudanças de humor e tédio quando o uso da internet é interrompido. Outras características que podem ser observadas é a perda de interesses por outras atividades e distrações em consequência do uso da internet, bem como, a fuga dos problemas através da utilização da internet, já que esta possibilita ao indivíduo vivenciar muitas vezes uma realidade que não é a sua”, avalia.

 

 Da cultura nerd ao empreendedorismo dos games


Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.