Cadê você?

DEPUTADO QUER INCREMENTAR ECONOMIA COM AGRICULTURA FORTE


Não se tem um país forte, quando a produção de alimentos é pífia. Mesmo que ele tenha tecnologia de ponta, portanto, é importante que o Brasil avance cada vez mais na produtividade e Sergipe está incluso neste leque agrícola, mas precisa ir mais longe e diante desta perspectiva, o deputado federal André Moura, PSC, apresentou proposta a direção da Codevasf, para que a Companhia assuma a responsabilidade do perímetro irrigado Jacaré-Curituba.

Antônio Avelino Neiva prometeu estudar a solicitação que terá prioridade nos projetos da Codevasf.

André foi o relator da matéria possibilitando a inclusão dos 75 municípios sergipanos no perímetro de trabalho da Codevasf. Para ele, a necessidade de políticas públicas para o melhor aproveitamento dos recursos hídricos e no desenvolvimento econômico e rural é fundamental para ampliar a infraestrutura irrigada e garantir autonomia aos empreendimentos agrícolas na região.

“Precisamos garantir os investimentos em obras de infraestrutura, projetos de irrigação e de aproveitamento racional da água. A ajuda  da Codevasf às comunidades rurais, especialmente as afetadas pela seca, é extremamente eficaz, por isso precisamos  tanto da empresa”, afirmou André.

Mas a prioridade dos pleitos é que a Codevasf assuma a gestão do Jacaré-Curituba. “A competência do órgão garante melhores condições operacionais aos irrigantes”, declarou o deputado. Além disso, André solicitou ainda a liberação de recursos para a aquisição de equipamentos que vão ajudar os agricultores a aumentar a produção.

Ao final do encontro, Antônio Avelino acatou todas as solicitações do parlamentar, garantindo que fará todo o possível para viabilizá-las. “Vamos trabalhar para levar o desenvolvimento e solucionar os problemas em Sergipe”, declarou Avelino.

1

PROFESSORES

Os professores decidiram em assembleia que vão paralisar as atividades no dia 9 de maio e promover um novo ato em frente ao Palácio dos Despachos.

2

REIVINDICAÇÃO

A categoria reivindica que o governador Belivaldo Chagas apresenta uma proposta para a retomada da carreira do magistério, o que significa o pagamento de gratificações diferenciadas conforme o nível de formação dos professores.

3

SEM NEGOCIAR

“O governador Belivaldo ainda não sentou com a categoria. Então, decidimos paralisar para cobrar que ele apresenta uma proposta concreta para a retomada da carreira do magistério, que foi destruída no último Governo”, comenta Ivonete Cruz, presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Sergipe (Sintese).

4

LIMINAR

No Superior Tribunal Tribunal de Justiça, o presidente de Honra do PRB, Heleno Silva, conquistou liminar que lhe garante, pelo menos provisoriamente, o direito de disputar as eleições deste ano. De acordo com a decisão, Heleno Silva foi condenado, mas foi beneficiado pela prescrição, em 2017. Heleno é pré-candidato ao Senado.

5

DESO

O governador Belivaldo Chagas, PSD, e o ex-prefeito de Nossa Senhora do Socorro, Fábio Henrique de Carvalho, PDT, finalmente se entenderam na possibilidade de a gestão da Deso ficar sob o comando desse ex-prefeito. Como consequência o governador confirmou que o engenheiro Gabriel Campos, atual diretor de Planejamento, Projetos e Meio Ambiente da Deso, será o novo presidente da Companhia. Ele é funcionário de carreira da casa e vai suceder ao colega Carlos Melo, que tem mais ou menos no mesmo perfil funcional.

6

CONFIRMAÇÃO

O grupo de Fábio Henrique fez questão de, ao receber o comando da Deso, respeitar a necessidade de a direção da Companhia ser feita por alguém de carreira, para evitar atraso nas muitas ações que estão em curso. Por exercer a atual Diretoria de Planejamento, Projetos e Meio Ambiente, Gabriel Campos foi um nome consensual.

7

BASE

A oferta de Belivaldo Chagas cumpriu o objetivo político claro “de reter Fábio Henrique, a deputada Sílvia Fontes, sua esposa, e o grupo deles na base governista e estacar o assédio que os oposicionistas fazem a ele, tentando raptá-lo para uma candidatura de vice-governador”, conforme noticiou esta coluna.

8

MAJORITÁRIA

Fábio Henrique não saiu das duas reuniões como um futuro membro de uma eventual chapa majoritária de Belivaldo Chagas. Segundo a coluna apurou, ele manteve-se nas duas conversas como um pré-candidato deputado federal. E Sílvia Fontes, sua esposa e deputada estadual, à reeleição. Mas o entendimento deve deixar o casal fora dos diálogos com as oposições.

9

PESQUISA

O Democratas de Sergipe repudia a divulgação de pesquisas com o intuito de enganar o povo sergipano, excluindo das suas consultas nomes de pré-candidatos ao governador do estado de Sergipe, a exemplo de Mendonça Prado. É lamentável que nos dias atuais empreguem esse tipo de artificio para ludibriar o povo, e tentar inflar nomes da preferência do poder econômico.

10

ALERTA

Portanto, não avaliaremos dados criminosos, apenas alertamos o Ministério Público Eleitoral e a Polícia Federal para esse tipo de manipulação explícita, que subestima a inteligência dos sergipanos e reduz o processo democrático a uma ação delituosa, disse o ex-deputado.

11

AUDITAGEM

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) irá promover uma auditoria para investigar a movimentação do Governo do Estado no tocante aos repasses de recursos arrecadados com multas ambientais.

12

VALORES

Os levantamentos da Corte de Contas apontam que os valores foram destinados à conta única do Estado, quando deveriam ter sido entregues ao Fundo de Defesa do Meio Ambiente (Fundema), contrariando a lei de política estadual do meio ambiente. Por isso, uma medida cautelar aprovada pelos conselheiros garante que, a partir de agora, a Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) e Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema) depositem o dinheiro arrecadado na conta do Fundo, e que a Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) seja informada.

13

INTERVENÇÃO

A conselheira Susana Azevedo, relatora da representação, sustentou a necessidade de intervir. “Queremos é que cumpram o que a lei determina e o dinheiro seja depositado diretamente na conta específica da Fundema. Enquanto isso, faremos uma auditoria minuciosa sobre o assunto. O que a 1º Coordenadoria de Controle Interno do TCE detectou e temos em mente é que R$ 44 milhões deixaram de ser recolhidos”, contou.

MULTA

Foram incluídos como partes interessadas o atual presidente da Adema, Francisco de Assis Dantas, e Almeida Lima, que exerceu a função entre fevereiro de 2015 e janeiro de 2017. A decisão que assegura a medida cautelar prevê, em caso de descumprimento da determinação, uma multa diária de R$ 1 mil, chegando a um limite de mais de R$ 62 mil.

EXPLICAÇÃO

Atualmente à frente da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Lima explicou que este tipo de repasse é de “responsabilidades financeira de quem controla os recursos do Estado”, que a Adema, como autarquia, “não possui autonomia administrativa” e quem opera em casos como este é a Sefaz, que “nunca procedeu abertura de contas especiais para fundo algum”.