Cidade

Assaltos a ônibus deixam rodoviários e passageiros aterrorizados


Sintra pede reforço de blitze em ônibus da capital
Sintra destaca que as blitze inibem a ação dos bandidos
02/08/2017  19:18
Presidente do Sintra considera alto o número de assaltos registrados (Foto: Carluz Lima)

De janeiro a julho deste ano foram registrados um número de 630 assaltos a ônibus em Aracaju. É o que aponta dados de um levantamento divulgado pelo Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário do Município de Aracaju (Sintra).

Em 2016, no mesmo período, foram registrados 1174 casos. Apesar do número de assaltos a ônibus ter diminuído, o presidente do Sintra, Miguel Belarmino, considera que a quantidade ainda é muito alta. “É preciso que o comando da polícia continue com as blitze itinerantes”, sugere. “Isso é bastante aproveitador. A blitz itinerante vai inibir o bandido. Ele não sabe qual o local que o bandido vai abordar”, complementa.

Os dados registrados não incluem os chamados ‘arrastões’ dentro dos ônibus. Os registros destes casos são feitos diretamente pelo usuário do transporte público à polícia, mas o sindicato reconhece que há muitos casos: “Nós não temos registro de arrastões, que ocorrem muito”, comenta o presidente do sindicato.

Segundo os dados, as linhas com maiores índices de assaltos em 2016 foram 001 (Augusto Franco/Bugio), 002 (Fernando Collor/DIA) , 004 (Sanatório/Mercado) e 080 (Bugio/Atalaia). Em 2017, os maiores números de assaltos foram registrados nas linhas 080 e nos ônibus que fazem trajeto para o Complexo Taiçoca. Somente em 2016 foram registrados 1174 casos.

Precauções

Para Miguel Belarmino, “evitar está com o celular dentro dos coletivos” é um das melhores maneiras de chamar a atenção de um assaltante. Além disso, é recomendável que se transite sem bolsas e ficar atento.